Brasília,
Home » Destaque » Bashar al-Assad diz que ataque dos EUA foi “imprudente” e “irresponsável”

Bashar al-Assad diz que ataque dos EUA foi “imprudente” e “irresponsável”

Publicado por: Redação Irã News
Autor:
Publicada em 07/04/2017 às 22:18
Share Button
bachar Foto:
O gabinete do presidente sírio, Bashar Assad, condenou vigorosamente o ataque de mísseis realizado por EUA contra um aeródromo militar na província central de Homs, descrevendo-o como “comportamento imprudente e irresponsável”.
O comunicado apontou que o ataque com mísseis realizado pelos Estados Unidos reflete a continuação de uma política norte-americana – independentemente da administração que ocupa a Casa Branca – e que se baseia na “subjugação das pessoas”.
 A declaração do gabinete presidencial da Síria ressaltou ainda que o ataque com mísseis dos EUA impulsiona a decisão do governo sírio de esmagar grupos terroristas patrocinados pelos estrangeiros, prometendo acelerar o ritmo das operações de limpeza contra os extremistas.
O Pentágono disse que 59 mísseis de cruzeiro Tomahawk foram disparados de dois navios de guerra no Mediterrâneo contra aeródromo de Shayrat no início da sexta-feira. Autoridades dos EUA afirmam que o ataque de terça-feira em Khan Shaykhun havia sido lançado do local militar. O exército norte-americano disse que os mísseis danificaram ou destruíram aeronaves da Síria que apoiaram a operação de ataque.
Pelo menos nove pessoas foram mortas no ataque da manhã, de acordo com a agência de notícias oficial da Síria, SANA.
A Síria denunciou a “agressão” dos EUA como uma violação do direito internacional. Por outro lado, o Ministério das Relações Exteriores da Síria condenou a agressão dos Estados Unidos como “uma agressão flagrante” contra o país árabe, e disse que o verdadeiro objetivo de Washington era “enfraquecer a força do exército sírio no confronto com grupos terroristas”.
Em uma declaração de sexta-feira, o ministério descreveu o ataque de Khan Shaykhun como uma “ação premeditada que visava justificar o lançamento de um ataque dos EUA contra o exército sírio”.
O Ministério das Relações Exteriores russo também censurou o ataque como uma agressão contra um Estado soberano. O porta-voz do Ministério da Defesa russo, o major-general Igor Konashenkov, afirmou que Moscou considera o ataque dos EUA a base de Shayrat uma violação grosseira de um memorando sobre a segurança dos voos sobre a Síria e suspende a cooperação com Washington para evitar incidentes no espaço aéreo sírio.
Konashenkov observou ainda que apenas 23 mísseis de destroieres dos EUA chegaram ao aeródromo sírio, enfatizando que não está claro onde os outros 36 pousaram. Enquanto isso, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, expressou a esperança de que o ataque com  mísseis dos EUA contra a Síria não prejudique irremediavelmente as relações entre Moscou e Washington.
“Este é um ato de agressão, com um pretexto absolutamente fictício”, disse Lavrov em uma entrevista coletiva na capital uzbeque de Tashkent. “Lembra-me a situação em 2003, quando os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, juntamente com alguns de seus aliados, atacaram o Iraque”, disse o diplomata russo, afirmando que a Rússia exigirá que os Estados Unidos expliquem o motivo de sua agressão, notando que nenhum soldado russo foi morto no país.
Além disso, as forças armadas russas denominaram o ataque de mísseis dos EUA à base aérea da Síria como “um ataque de agressão.” Espero que esta provocação não leve a danos irreparáveis, disse o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, General-General Igor Konashenkov.
Ele acrescentou que a agressão teve um impacto militar “extremamente baixo”. Além disso, Viktor Ozerov, presidente do comitê de defesa do Conselho da Federação, a câmara superior do parlamento russa, disse que a base aérea da Rússia na província ocidental da Síria, Latakia, além de sua instalação naval em província costeira ocidental de Tartus é protegida por sistemas de defesa de mísseis aéreos S-300 e S-400.
“Os complexos de mísseis S-300 e S-400… garantem adequadamente a segurança de nossas forças armadas em terra, bem como por mar e ar”, disse ele.
Por outro lado, o Ministério do Exterior turco, em um comunicado divulgado na sexta-feira, aplaudiu o ataque aéreo dos EUA ao aeroporto de Shayrat da Síria, dizendo que Ankara apoiará qualquer ação militar futura contra a Síria. No início do dia, o vice-primeiro-ministro turco Numan Kurtulmus disse que a Turquia considerou o ataque com mísseis dos EUA como um passo positivo.

Pars Today

Comments

comments

ESPORTE

COLUNISTAS

VIDEOS