Brasília,
Home » Destaque » EUA impediram invasão da Arábia Saudita no Qatar

EUA impediram invasão da Arábia Saudita no Qatar

Publicado por: Redação Irã News
Autor:
Publicada em 01/08/2018 às 16:48
Share Button
Foto:
© REUTERS / Kevin Lamarque

O ex-secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, teria persuadido a Arábia Saudita a desistir dos planos de invadir do Qatar, segundo a imprensa publicou nesta quarta-feira (1).

Tillerson teria intervido para impedir planos secretos de uma invasão liderada pela Arábia Saudita e apoiada pelos Emirados Árabes Unidos de invadir de conquistar o Qatar. A informação divulgada pelo The Intercept, basead em uma fonte da inteligência dos EUA e dois oficiais do departamento de Estado dos EUA.

Esse seria, segundo o artigo, um dos motivos da demissão de Rex Tillerson.

A Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Egito e o Bahrein, em junho de 2017, cortaram laços diplomáticos com o Qatar, a quem eles acusam de apoio ao terrorismo. Os mesmos países também fecharam as fronteiras com o território qatari.

Um bombardeiro estratégico B-52 da Força Aérea dos EUA chega a base militar norte-americana de Al Udeid no Qatar (foto de arquivo)
© REUTERS / U.S. AIR FORCE/TECH. SGT. TERRICA Y. JONES

Em tempo, a inteligência do Qatar teria descoberto os planos de invasão e alertaram Rex Tillerson, ainda de acordo com o Intercept.A partir desse ponto, Tillerson teria feito uma série de ligações para influenciar os oficiais sauditas a cancelarem a ação militar contra o Qatar. Essas ligações teriam sido justificadas pelo governo como uma forma de reverter a ruptura diplomática que de repente envolveu o Qatar.

O texto também indica que Tillerson agiu antes dos oficiais dos EUA e do Reino Unido confirmarem os planos de invasão alguns meses antes.

O governo saudita esperava utilizar tropas terrestres que invadiriam o Qatar através da fronteira com a Arábia Saudita. As tropas, com o apoio militar dos Emirados Árabes iriam avançar até Doha, a capital qatari.

As tropas invasoras iriam dar a volta na Base Aérea de Al Udeid, onde 10 mil soldados dos EUA prestam serviço, e então tomar Doha.

Comments

comments

ESPORTE

COLUNISTAS

VIDEOS