Brasília,
Home » Oriente Médio » Síria pede o fim dos assassinatos de civis por forças da coalizão liderada pelos EUA

Síria pede o fim dos assassinatos de civis por forças da coalizão liderada pelos EUA

Publicado por: Redação Irã News
Autor:
Publicada em 28/05/2017 às 08:38
Share Button
Foto:
  • Ao enviar duas cartas ao secretário-geral da ONU e ao presidente do Conselho de Segurança, o Ministério de Relações Exteriores e Expatriados da Síria pediu o fim das atividades ilegais das forças de coalizão lideradas por EUA na Síria.
De acordo com as cartas, o Ministério sírio dos Negócios Estrangeiros e Expatriados condenou veementemente o bombardeio  de Al-Mayadin, na província de Deir ez-Zor, no leste da Síria, que levou à morte de 35 mulheres e crianças e feriu muitos outros no início de Maio.
Esta agressão constitui outra violação da soberania nacional e territorial da Síria pela ilegítima coalizão internacional sob o pretexto de lutar contra o terrorismo.
O único resultado das atividades ilegais das forças da coalizão foi promover mais caos e devastação, dizia a carta.
Os únicos partidos que se beneficiam com o que as forças da coalizão estão fazendo na Síria são os grupos terroristas, particularmente Deash e Al-Nusrah, disse.
“As operações conduzidas pelas forças da coalizão são contra as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e as leis internacionais e acreditamos firmemente que a coalizão continua a ter uma natureza hostil e que está aliada com as partes que procuram abater pessoas inocentes na Síria”, Síria Ministério dos Negócios Estrangeiros e Expatriados disse em suas cartas.
Nos meses anteriores, as forças da coalizão confessaram a morte de centenas de pessoas sírias inocentes citando pretextos infundados.
Os caças da coalizão bombardearam um prédio residencial de quatro andares em Al-Mayadin, levando à destruição total do prédio e ao assassinato de 35 civis, em sua maioria mulheres e crianças.
Washington e alguns de seus aliados regionais formaram uma coalizão conhecida como coalizão internacional desde agosto de 2014, sem qualquer coordenação com o governo sírio e fora do marco estabelecido pela ONU.

Pars Today

Comments

comments

ESPORTE

COLUNISTAS

VIDEOS