Brasília,
Home » Destaque » Teerã, Pequim, para impulsionar a cooperação nuclear

Teerã, Pequim, para impulsionar a cooperação nuclear

Publicado por: Redação Irã News
Autor:
Publicada em 11/04/2018 às 15:35
Share Button
Foto:

Pars Today– A cooperação energética entre o Irã e a China é importante, e os dois países devem impulsionar os laços em todas as áreas, incluindo o uso pacífico da energia nuclear, disse na quarta-feira o embaixador do Irã em Pequim.

A história dos laços entre Teerã e Pequim remonta a mais de 2.500 anos atrás, disse Ali Asghar Khaji no Seminário sobre Cooperação Nuclear Civil entre Irã e China sob o JCPOA, que está em andamento na capital chinesa.
Descrevendo o seminário como importante, Khaji disse que o Silk Road, recentemente conhecido como projeto “One Belt, One Road”, tem um impacto significativo na promoção do intercâmbio comercial entre os dois países.
Referindo-se à dependência mútua e aos interesses e ameaças comuns que são a base das relações globais de hoje, o embaixador disse que o Irã e a China estão cooperando para combater suas ameaças comuns de terrorismo e extremismo.
Como a paz e a estabilidade regionais são importantes para a China, o Irã, como um país que está combatendo diretamente os terroristas na região, pode desempenhar um papel de liderança na garantia da segurança comercial, disse o diplomata.
Sobre as relações comerciais entre Teerã e Pequim, Khaji disse que a China é o principal parceiro comercial do Irã há uma década.
Ele prosseguiu dizendo que os dois países testemunharam um aumento de 20% em suas trocas comerciais, que ficaram em 37 bilhões de dólares em 2017.
O Irã, como um dos países mais ricos do mundo em termos de reservas de petróleo e gás e também como o país mais estável na região do Oriente Médio, pode desempenhar um papel fundamental no fornecimento de energia para a China e garantir a segurança de seu transporte, disse o diplomata.
Devido à sua localização estratégica, o Irã pode ser um caminho seguro e curto para trocas comerciais internacionais, disse o embaixador, acrescentando que o Irã, com sua população de 80 milhões, pode ser o melhor lugar para a China implementar o projeto ‘One Belt, One Road’ e expandir laços comerciais com o Ocidente.
Foi em 2013 que o presidente chinês Xi Jinping apresentou a iniciativa “One Belt, One Road”, um plano para ligar a China à Ásia, África e Europa através de uma rede de portos, ferrovias e estradas.
Referindo-se aos desenvolvimentos internacionais, o diplomata iraniano disse que o Irã e a China acreditam que o diálogo é a única maneira de resolver disputas.
Tanto o Irã quanto a China, acrescentou, são contra o unilateralismo ilegítimo dos Estados Unidos e o domínio das potências estrangeiras sobre outros estados.
Referindo-se à visita de 2016 do presidente chinês ao Irã, o diplomata disse que a visita serviu para fortalecer laços bilaterais em várias áreas, acrescentando que Pequim é um membro influente do Grupo 5 + 1 com o qual o Irã manteve conversas intensas para alcançar o marco nuclear em julho de 2015.
Ele também apreciou o papel positivo da China nas negociações nucleares.
Embora o presidente dos EUA, Donald Trump, tenha ameaçado repetidamente retirar-se do acordo com o Irã, a China tem sido ativa em apoiar o acordo internacional e implementá-lo, enfatizou o embaixador iraniano.
O porta-voz da Organização de Energia Atômica do Irã (AEOI) Behrouz Kamalvandi, em nome do país, participa do seminário nuclear entre Irã e China.

Comments

comments

ESPORTE

COLUNISTAS

VIDEOS